O nosso subconsciente controla grande parte do nosso comportamento e, consequentemente, as nossas ações. Somos impelidos a fazer algo por uma força que está dentro de nós e, muitas vezes, nem sequer nos apercebemos disso.

Há estímulos que aumentam o nosso apetite, a nossa sede, a nossa vontade de agir. A quantidade de bolhinhas num refrigerante influencia em milhões as unidades vendidas. Por isso os diretores da coca-cola discutem ao pormenor o número de bolhas que os anúncios, a garrafa, o copo, ou a lata devem ter.

Tão, ou ainda mais curioso, é o fato provado que mostra que os telhados em curva e vermelhos da McDonalds potenciam o aumento das vendas em 54% quando comparados com os telhados normais. Além do cheiro característico e do palhaço, olhar para um telhado curvo vermelho faz-nos ter uma vontade súbita de comer um hambúrguer (para quem gosta, claro).

Quem for adito ao chocolate também sabe que umas formas redondas e coloridas podem fazer lembrar um m&m e uns triângulos um tablerone. A mim um ananás faz-me sempre lembrar um chocolate Regina de frutas. Só de pensar já lhe sinto o sabor…

Como saber isto pode ajudar o marketing e uma empresa? Usando aquilo que os nossos clientes gostam como isco: Primeiro oferecemos aos nossos potenciais clientes uma coisa que eles gostem muito. Depois esperamos que eles passem a associar a nossa marca sempre que tornarem a ver, cheirar ou sentir essa coisa.

Em 2008, e com o decréscimo de vendas devido ao aparecimento da internet, os correios de Inglaterra tiveram uma ideia brilhante: Propunham uma nova campanha de marketing direto para as empresas: As empresas, em vez de enviarem as tradicionais cartas, flyers, brochuras, calendários ou canetas, que vão invariavelmente quase todas para o lixo, podiam enviar mensagens personalizadas e gravadas em…delicioso chocolate!

Já pensaram no impacto que terá tido esta campanha? Já imaginaram a cara dos donos das empresas quando receberam o postal de chocolate? Será que sempre que comerem um chocolate se vão lembrar da marca que, uma vez, lhes enviou a oferta tão saborosa? Provavelmente vão pois é inesquecível. A marca vai ficar marcada nas suas mentes de uma maneira indelével e com associações bem positivas. Se o marketing também é fazer recordar a marca então esta ideia é genial.

Felizmente, há pouco, recebi um email dos CTT com um PDF a informar que, este ano, estavam também realizar esta mesma campanha. É uma boa ocasião para quem quer fazer a diferença e cravar bem fundo a marca na cabeça dos seus clientes. Infelizmente esta campanha não está visível no site e terão que ligar e pedir mais informações. Mas não deixa de ser uma boa oportunidade, sobretudo nesta altura de Natal, para brilhar e sobressair no meio da cacofonia usual.

Rémy Radel da Universisade de Nice Sophia-Antipolis em França, autor de um estudo sobre se o nosso cérebro estaria mais susceptível a estímulos relacionados com comida quando estamos com forme afirmou “o nosso subconsciente está sempre vigilante”. Só é preciso tirarmos partido disso.

Duarte Cardoso

18-12-2015

Anúncios